Carta de um Munícipe e Leitor sobre a transferência das Bibliotecas Municipais para as Juntas de Freguesia de Lisboa

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa,
Exmº. Senhor Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa,
Exmª Senhora Vereadora da Modernização Administrativa,
Exmº Senhora Vereadora da Cultura,

Enquanto munícipe e leitor, tendo tomado conhecimento que a CML quer deixar de gerir oito bibliotecas e transferir essa competência para as juntas de freguesia, não posso deixar de exprimir a minha indignação por saber que as bibliotecas de São Lázaro, David Mourão Ferreira, Natália Correia, Maria Keil, Olivais (incluindo a Bedeteca), o auditório Orlando Ribeiro e os dois espaços da Biblioteca-Museu República e Resistência (espaço Grandella e espaço Cidade Universitária) que fazem parte do grupo das bibliotecas municipais que podem passar a ser geridas pelas respetivas juntas de freguesia, em vez de permanecerem na dependência da CML.

Enquanto munícipe e leitor(a), temo que tal medida corresponda a uma diminuição da qualidade dos serviços prestados pela atual Rede de Bibliotecas Municipais de Lisboa (Rede BLX), bem como a uma degradação das suas respetivas coleções.

Enquanto munícipe e leitor, assim, venho por este meio reclamar junto da Câmara Municipal de Lisboa (CML), ao saber da notícia da possível desagregação da Rede BLX, constituída por 16 bibliotecas, uma Bedeteca, uma Fonoteca e uma Hemeroteca, espalhadas pela Cidade de Lisboa, as quais prestam um serviço público e único à população, do qual destacamos:

1 – Permitem, aos seus munícipes, aceder na biblioteca da sua área de residência a obras que, eventualmente, estejam em depósito noutras bibliotecas;

2 – O seu acervo bibliotecário é extenso e de grande qualidade;

3 – Permitem a criação de hábitos de leitura importantes para o desenvolvimento harmonioso de crianças e jovens e fundamentais para a aquisição de competências de leitura e utilização de informação indispensáveis ao exercício da cidadania e para um conhecimento mais amplo da nossa e de outras culturas;

4 – Organizam e oferecem um vasto leque de recursos de informação e conhecimento;

5 – Desenvolvem programas de atividades de promoção da literacia e da leitura;

6 – Procuram satisfazer os interesses e necessidades dos utilizadores ao disponibilizar um conjunto de serviços, quer presencialmente, quer através da Internet, para vários públicos, tais como: crianças, jovens, adultos e seniores;

Num momento particularmente difícil para todos os Cidadãos, e para o qual não se vislumbra no imediato uma melhoria, as bibliotecas municipais de Lisboa prestam serviços únicos. Venho, por isso, solicitar a Vª. Exªs. que atendam aos motivos apresentados e impeçam a prossecução do desmantelamento da Rede Municipal de Bibliotecas de Lisboa.

Lisboa, 17 de Dezembro, de 2013.

Subscreva enviando este texto para a Vereadora da Cultura da CML: ver.catarina.vaz.pinto@cm-lisboa.pt

One thought on “Carta de um Munícipe e Leitor sobre a transferência das Bibliotecas Municipais para as Juntas de Freguesia de Lisboa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s