Sabia que…

Sabia que em 860 d.C. 54 navios normandos, vindos do Báltico e comandados por Rholon saquearam a costa da Galiza e, depois, Lisboa, cercando a cidade durante 13 dias?
Sabia que no tempo de Dom Dinis o tesouro real era guardado no castelo de São Jorge, em Lisboa, na chamada “Torre Albarrã” ou “Torre do Haver”?
Sabia que, quando Dom Afonso Henriques conquistou Lisboa (1147), a cidade já se alargava fora das muralhas em dois arrabaldes: o vale da atual Baixa e, para Oriente, Alfama? Só depois de construída a Muralha Fernandina é que a cidade moura se tornou num núcleo estruturante da cidade, de fora, continuo a atual Mouraria dos arrabaldes. Com foral em 1179, e imposto de consumo, o que pressupõe a existência de “portas” onde este seria cobrado.
Sabia que Lisboa só se expandiu oficialmente, depois do Terremoto, quando Dom José determinou os “justos limites” da cidade, estendendo-os a Alcântara e a Santa Apolónia?
Sabia que em 1384, Castela enviou uma esquadra de 13 galés e um exército de trinta mil homens, no mesmo momento em um exército comandado pelo Arcebispo de Santiago de Compostela invadia Douro e Minho?
Sabia que no cerco castelhano de Lisboa de 1384, uma epidemia de Peste Negra grassou entre os invasores e que estes enviaram vários prisioneiros portugueses contaminados para dizimarem os habitantes da cidade? Contudo, não haveriam de conseguir e poucas semanas depois, queimavam o acampamento e regressavam a Castela
Sabia que um frei do Convento de São Francisco, em Lisboa, se encerrou numa gruta que mandou abrir perto do seu Convento, fazendo-se entaipar, deixando apenas uma pequena fresta, vivendo nestas condições durante dezasseis anos, até, por fim, falecer? Era através desta fresta que frei João da Barroca (porque era este o seu nome) dava conselhos e avisos a muitos que constantemente o procuravam. Entre estes contou-se o Mestre de Avis, que o procurou várias vezes, garantindo-lhe sempre o emparedado vitórias, o trono e a independência nacional.
Sabia que entre 1451 e 1452, esteve em Lisboa um embaixador do rei etíope Zara Yacob, de nome Jorge Sur, que foi recebido por Dom Afonso V e pelo Infante Dom Henrique?
Sabia que em 1531, aos trinta anos, Gonçalo Annes Bandarra chegou a Lisboa vindo de Trancoso, havendo dessa viagem registos que referem ter ficado hospedado na casa do caixeiro João Lopes, local onde interpretou, profeticamente, vários textos da Bíblia?
Sabia que em 1539, Bandarra regressa a Lisboa,  a pedido do judeu Vargas da Covilhã, onde argumentou sobre a Bíblia? O alvoroço que então criou entre os habitantes da capital foi muito grande e haveria de ser a principal razão para despertar a atenção da Inquisição que o haveria de condenar em 1541.
Sabia que foi em 25 de outubro de 1541 que Bandarra, vestido com o traje dos hereges condenados, com o grande círio de penitência, percorreu o dito “cortejo de desagravo” até ao Terreiro do Paço da Ribeira, subindo ao cadafalso para se penitenciar e ouvir ler a sentença que o obrigava a renegar em público as suas ideias para salvar a sua vida?
Sabia que a Inquisição se começou por estabelecer em Évora, mas que logo se mudaria para Lisboa, primeiro para o Convento da Trindade e, depois, no Palácio dos Estaus, uma antiga hospedaria para príncipes e embaixadores estrangeiros situada no Rossio, não sem uma grande expansão que duplicou a sua área, com a instalação de celas e salas de interrogatório?
Sabia que a avenida Almirante Reis foi construída como Avenida Dona Amélia, tendo mudado de nome logo depois da implantação da República, em memória de Carlos Cândido dos Reis, o vice-almirante da Marinha de Guerra e um dos mentores da revolução que, em 5 de outubro de 1910, convencido do fracasso da revolução, se suicidou nas primeiras horas desse dia?
Sabia que o conde-duque de Olivares urdiu o plano de enviar a Lisboa uma esquadra para forçar o duque de Braganca a embarcar para assumir o cargo de vice-rei de Milão, mas que esta esquadra foi dispersa por uma tempestade não chegando assim antes da Restauração?
Sabia que uma das figuras mais destacadas dos conjurados que levaram à restauração da Independência foi Dom Antão Vaz de Almada, proprietário do palácio onde os conjurados se reuniam, nomeadamente a 30 de novembro, naquele que é hoje a sede da Sociedade Histórica da Independência de Portugal? Dom Antão era então comandante de Fronteira, governador da cidade de Lisboa e primeiro embaixador à corte de Inglaterra.
Sabia que a 1 de dezembro de 1640, às nove da manhã, se distinguiu um clérigo da Azambuja, com um sabre mourisco e um pequeno escudo? Tanto que ficou no povo a tradição de dizer que fulano ou sicrano eram “tão valentes como o padre da Azambuja”.
Sabia que a 1 de dezembro de 1640, no assalto à guarnição castelhana de Lisboa se distinguiu o padre Manuel da Maia, com a espada na mão direita e o crucifixo na esquerda?
Sabia que perante a insistência da Duquesa de Mântua (castelhana) em aceitar o Duque de Bragança como rei de Portugal o conjurado Carlos de Noronha lhe disse que tal insistência o faria “obrigar Vossa Alteza a sair pela janela, no caso de não querer retirar-se pela porta”? Só depois é que assinou uma ordem para o comandante do castelo de São Jorge não bombardear a cidade nem os três navios capturados aos castelhanos.
Sabia que em dezembro de 1640, a guarnição castelhana da fortaleza de São Julião da Barra, comandada pelo general Fernando de la Cueva e formada por 600 homens, e com o maior poder de fogo de todas as guarnições do país, se rendeu a Fernando Mascarenhas, um dos presos portugueses nas suas masmorras?
Sabia que quando a 1 de dezembro de 1640, o arcebispo de Lisboa, Dom Rodrigo da Cunha, foi à Sé, para dar graças a Deus, ao passar pela igreja de Santo António, a imagem de Jesus terá erguido um braço, abençoando assim a independência nacional?
Sabia que na Idade Média, as freguesias de Lisboa eram conhecidas inicialmente como “colação” (do latim collatio), tendo a sede num templo ou igreja matriz?
Sabia que o primeiro bispo da Lisboa cristã, depois da conquista de Afonso Henriques foi o sacerdote inglês Dom Gilberto, que vinha na armada com os cruzados da mesma nacionalidade?
Sabia que a freguesia de Santa Maria Maior foi fundada no reinado de Afonso Henriques, ou seja, em 1170?
Sabia que as primeiras referencias às paróquias (freguesias) de Santa Maria Madalena e a São Pedro de Alfama constam num documento de 1192?
Sabia que em 1191, se realizou na Sé Catedral de Lisboa, um sínodo liderado pelo bispo Dom Soeiro Anes onde e que no documento onde surge esta informação, se refere as seis igrejas colegiadas, todas as sedes de freguesia que então existiam?
Sabia que o rei Dom Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha tinha por habito passear a pé, pelas ruas de Lisboa, parando para falar com quem com ele quisesse falar, independentemente da sua classe ou condição económica?
Sabia que foi na Quinta do Ché, nos Oliveis que os três executores do Regicídio planearam o atentado?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s