Proposta MaisLisboa: Por uma Rede de “Parques de Estacionamento Periféricos” para a Área Metropolitana de Lisboa

A entrada de veículos automóveis na cidade é um problema de Lisboa, a vários níveis:
1. A poluição atmosférica e sonora provocada por estes veículos
2. As emissões de CO2 destes veículos
3. O desgaste nas vias urbanas
4. A ocupação de lugares de estacionamento (sempre insuficientes)
5. As perdas em desgaste de material circulante nos próprios veículos, naqueles de residentes e sobretudo, nos transportes públicos, que decorrem do “para-arranca” dos engarrafamentos urbanos
6. Os atrasos e perda de eficiência dos transportes públicos urbanos, com consequente perda de horas-trabalho e de clientes para o sistema público de transportes
O coletivo MaisLisboa entende-se assim dar o seu contributo para a resolução do problema da entrada de veículos automóveis em Lisboa através da proposta de uma série de medidas:
1. A CML deve trabalhar em conjugação com as outras autarquias da Área Metropolitana de Lisboa (AML), Carris (Metro de Lisboa) e CP no sentido de instalar uma rede de parques de estacionamento gratuitos junto às  estações de caminhos de ferro e de metropolitano. Estes parques devem ser gratuitos (em função da apresentação de um título de transporte  válido).
2. Estes parques devem garantir um desconto ao preço normal do titulo de transporte, por forma a estimular a sua utilização.
3. A CML deve defender junto do Governo central uma política sistemática e consistente de redução do preço dos transportes públicos.
4. Nestes “Parques Periféricos” de estacionamento, devem existir postos de carsharing (com veículos elétricos), byciclesharing e motosharing, complementados com redes de postos urbanos deste tipo que urge instalar em Lisboa (à semelhança, por exemplo, do que se fez recentemente em Nova Iorque)
5. Esta rede de “Parques Periféricos” deve ser financeiramente suportada pelos municípios onde estes são construidos e pela CML, por um preço de uso comercial a não-utilizadores de transportes públicos e pelo pagamento de uma comissão por parte da rede de partilha de veículos que aqui deverá funcionar.
6. A opção de lançar um sistema de portagens automáticas (por reconhecimento automático de matriculas ou Via Verde) em determinadas zonas da cidade deve ser também equacionado como um possível meio de financiar estes “Parques Periféricos”.
Esta proposta foi enviada à Câmara Municipal de Lisboa a 12 de janeiro de 2014

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s