Lisboa: Sabia que…

Sabia que a primeira referência à freguesia dos Anjos aparece em 1564, com uma pequena paróquia sediada numa pequena capela, apesar disso considerada “Igreja matriz”. Com invocação aos Santos Anjos, o nome haveria de passar a “os Anjos” e dai, ao nome da freguesia?
Sabia que, em 1755, no Largo das Fontainhas, foi executado, um grande grupo de larápios, que se tinham aproveitado do caos criado pelo abalo sísmico, para roubarem os escassos haveres dos sinistrados?
Sabia que num prédio da rua de Santo António à Estrela ocorreu no período de antes da Implantação da República a explosão acidental de uma “fábrica de bombas” que haveria de levar à cadeia todos os Carbonários da Loja “Obreiros do Futuro” que aqui tinha a sua sede?
Sabia que a loja Carbonaria mais ativa de Lisboa, teve a sua génese no Bairro de Alcântara, passando depois a Belém e que tinha o nome de “Alta Venda”?
Sabia que era o Jardim do Campo de Santana que eram realizadas as entrevistas de admissão à “Barraca”, uma força revolucionaria de elite, formada por jovens oficiais e aspirantes afetos à causa republicana?
Sabia que era na “Serra de Monsanto” que Machado dos Santos (da “Oficina Alta Venda” de Alcântara) fazia conferências e discursos inflamados aos militares ali convocados do Artilharia 1 e do Infantaria 16, procurando cativá-los para a Causa Republicana?
Sabia que em Lisboa, as duas células carbonarias mais ativas eram o “Comité dos Telegrafos e Correios” e a “Barraca Garibaldi” onde se haviam iniciado muitos trabalhadores dos elétricos da cidade?
Sabia que as três maiores maravilhas arquitetonicas de Lisboa: a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos e o Aqueduto das Águas Livres resistiram praticamente incólumes ao Terremoto de 1755?
Sabia que as execuções dos Távoras – mandadas fazer pelo Marquês de Pombal – tiveram lugar em Belém?
Sabia que a 3 de maio de 1945, Salazar mandou que todas as bandeiras fossem colocadas a meia haste até ao meio-dia do dia seguinte, em sinal de luto por Hitler? Contudo, dois dias depois, na noite do armistício, meio milhão de pessoas acorrer à Praça do Comércio para celebrar – espontâneamente – a vitória aliada sobre o fascismo.
Sabia que os ossos que os espanhóis diziam ter trazido de Marrocos como sendo os de Dom Sebastião e que estão hoje em Lisboa não correspondem às medidas do rei, e, logo, não podem ser dele?…
Sabia que nas encostas nascentes de Monte Agudo e da Penha de França, até ao século XIX (e pelo menos desde o século XVI) existiam prados onde ovelhas apascentavam regularmente, assim como uma série de pequenos moinhos? Só a partir de finais do século XIX é que se construíram aqui três bairros de habitação: o Bairro Andrade, o Bairro de Inglaterra e o Bairro das Colónias.
Sabia que o Bairro Andrade foi fundado por Manuel Gonçalves Pereira de Andrade, dono desses terrenos, sendo que as ruas deste bairro possuem os nomes das mulheres de sua família? O mesmo sucede em bairros como a Vila Grande, a Vila Berta ou da Estrela de Ouro.
Sabia que o Bairro de Inglaterra foi construído depois do Bairro Andrade e estendia-se até às encostas da Penha de França? Edificado por um grande comerciante lisboeta, Brás Simões, proprietário desses terrenos, estava cercado de rebanhos, cereais e moinhos. As suas ruas, depois da Grande Guerra, receberam os nomes de Cidade de Cardiff, Cidade de Manchester, Cidade de Liverpool, Poeta Milton e Newton.
O Bairro das Colónias começou a ser começou a ser construída de 1930. Nos finais do século XVIII havia aqui uma longa Azinhaga da Charca, ligando a rua de Arroios à Cruz dos Quatro Caminhos (actual Largo de Sapadores)?
Sabia que o Regueirão dos Anjos era um rio que corria até ao Tejo, passando pelas Fontainhas no atual Largo de Santa Bárbara? As muitas fontes existentes nesta zona permitam barredos e a presença de olarias (ativas desde a época romana). Aqui, encontravam-se muito campos de oliveiras.
Sabia que durante as Invasões Francesas foi à volta da igreja dos Anjos e do Cruzeiro de Arroios que se amontoaram as gentes que fugiam de Lisboa? Foi aqui perto, no Convento de Nossa Senhora da Nazaré, que os religiosos (graças às suas hortas e quintas em Arroios) alimentaram durante semanas os pobres que acorriam às suas portas.
Sabia que a designação “Intendente” só começou a ser alargada para lá da toponímia da praça, quando depois de 1960, o metro chamou à sua estação de “Intendente”?
Sabia que o Largo do Intendente homenageia o intendente-geral da polícia de Dona Maria I, Diogo Inácio de Pina Manique, que aí viveu, no número 52?
Sabia que no final do século XIX, o Palácio do Intendente era usado como Academia e Liceu e que o largo era palco frequente das partidas que os estudantes pregavam aos habitantes do bairro?
Sabia que, no século XVII, o atual Largo de Santa Bárbara era um subúrbio de Lisboa, chamado como “Campo de Santa Bárbara”, com muitas hortas, quintas, olivais e arroios de água?
Sabia que foi no Largo de Santa Bárbara que no em 1755 se ergueram as forcas onde foram executados os malfeitos que aproveitando a confusão gerada pela terremoto roubaram os bens das vítimas?
Sabia que Fernando Pessoa chegou a viver na Rua Antero de Quental?
Sabia que a conhecida fadista Severa nasceu na rua Antero de Quental?
Sabia que Mário de Sá Carneiro viveu no Bairro Andrade, na rua Maria, número 29?
Sabia que António Quadros nasceu na casa dos seus avós, no número 12 da Rua dos Anjos?
Sabia que no número 14 da Rua dos Anjos funcionou em 1885 a primeira empresa lisboeta de “jantares ao domicílio”?
Sabia que a rua Francisco Lázaro homenageia o atleta que teve a primeira representação olímpica, e que, na Maratona Olímpica de Estocolmo viria a morrer depois de ter declarado “ou ganho ou morro”?
Sabia que o Largo Pombeiro retira o seu nome da família que aí tinha um Palácio e que hoje está ocupado pela embaixada de Itália? Este palácio era conhecido como “Palácio Bempostinha” e foi destruído no terremoto de 1755.
Sabia que nas terras da Bemposta e da Bempostinha (Largo Pombeiro), que eram posse do Contador-Mor,  Luís Pereira de Barros, eram o lugar onde se acreditava existir um tesouro escondido? Esta lenda que ficou registada na sua escritura de venda e que daria inspiração a um romance de Camilo Castelo Branco.
Sabia que foi no atual Largo do Intendente que o rei Dom Dinis fundou, em 1290, a primeira universidade portuguesa, o Estudo Geral de Lisboa?
Sabia que o número 2 da Avenida Almirante Reis, prémio Valmor de 1908, foi decorado com animais por Bordalo Pinheiro (patos, libelinhas, rãs, carochas e cavalos marinhos)?
Sabia que a Fábrica de Loiça Branca e de Barro,  Azulejos, Vasos, Figuras e Ornatos de António da Costa Lamego foi fundada em 1849? O proprietário comprou várias pequenas indústrias oleiras conseguindo assim expandir o seu negócio desde o hospital até ao largo do Intendente. Foi aí que construiu um edifício de 3 corpos, com entrada pelo largo. O corpo central tratava do expediente e do atendimento, enquanto que os demais permitiam o acesso às oficinas e aos 5 fornos.
Sabia que quando António Costa Lamego faleceu, a sua fábrica passou à sua viúva, tomando assim o nome “Viúva de Lamego”? Era então a fábrica da melhor louca decorativa da Lisboa de finais do século XIX.
Sabia que o Miradouro de Monte Agudo deve o seu nome a uma ermida de Nossa Senhora do Monte Agudo, situada entre a Rua da Penha de França e a rua Heliodoro Salgado?  Esta ermida desapareceu com a abertura dos arruamentos e com a construção da escola primária. As primeiras referências a esta ermida datam de 1305 sendo que no século XVI guardava duas imagens de Nossa Senhora trazidas por Freiras Flamengas para Portugal.
Sabia que a estátua de Francisco Sá Carneiro que ornamenta a Praça do Areeiro é de autoria do escultor Domingos Soares Branco?
Sabia que “Areeiro” vem da extração de areia da antiga Quinta da Montanha, usada para a construção dos prédios nesta zona e cujos vestígios de extração podem hoje ser observados ao fundo da Avenida dos EUA, no morro dessa quinta?
Sabia que “Alto do Pina” é um termo de origem popular, do local conhecido como “Arraial do Pina” na Quinta das Baldracas.
Sabia que Lisboa em 1290 tinha 15 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1550 tinha 100 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1729 tinha 200 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1755 tinha 250 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1864 tinha 197 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1885 tinha 243 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1890 tinha 300 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1900 tinha 351 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1920 tinha 484 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1930 tinha 591 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1950 tinha 783 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1960 tinha 802 mil habitantes?
Sabia que Lisboa em 1970 tinha 760 mil habitantes?
Sabia que em 1981 Lisboa tinha 807 mil habitantes?
Sabia que em 1780 se fez a primeira experiência de iluminação pública a azeite?
Sabia que o primeiro jornal diário, o “O Diário Lisbonense” se começou a publicar em 1809?
Sabia que o primeiro cemitério público urbano de Lisboa foi o dos Prazeres (construido em 1835)?
Sabia que foi em 1848 que se instalaram os primeiros candeeiros a gás em Lisboa?
Sabia que a iluminação pública elétrica em Lisboa data de 1888?
Sabia que o Plano de Alvalade, do arquiteto Faria da Costa, data de 1945?
Sabia que em 16 de junho de 1550, Luís de Camões travou-se de briga no Rossio, atingindo com a espada um moço do Paço, Gonçalo Borges, sendo detido na Cadeira do Tronco, a pior prisão de Lisboa e onde os detidos eram obrigados a pagarem a alimentação do seu próprio bolso?
Sabia que a nau em que Luís de Camões embarcou em Lisboa, para a Índia, em 1553, se chamava “Galega” e que o fez sob fiança de um seu parente, o cristão-novo, Belchior Barreto?
“A sua pessoa (Luís de Camões) era vista com admiração em Lisboa, pois em aparecendo numa rua qualquer, todos quantos iam por ela paravam para o ver até que ele desaparecesse.”
Faria de Sousa
Sabia que Luís de Camões morreu a 10 de junho de 1580, tendo frei José Índio, um carmelita descalço, escrito que o viu morrer num hospital de Lisboa, sem ter uma manta com que cobrir-se, sendo enterrado na Igreja de Santa Ana, por piedade?
Sabia que no terremoto de Lisboa de 1531 morreram trinta mil lisboetas?
Sabia que as ondas do abalo sísmico de 1755 chegaram ao norte do Reino Unido?
Sabia que no dia do abalo de 1755, Lisboa se preparava para mais um Auto de Fé, onde seriam executados muitos judeus e cristãos novos?
Sabia que na igreja de São Roque está sepultado o corpo incorrupto de Francis Tregian, nascido na Cornualha e tornado santo e “mártir” da castidade por haver resistido aos avanços da rainha Isabel?
Sabia que a zona de Entrecampos recebeu a sua designação porque se situa entre o Campo Pequeno e o Campo Grande?
Sabia que o personagem Ricardo Reis (de José Saramago) tinha o hábito de passear do Hotel Bragança até ao Miradouro do Alto de Santa Catarina, atravessando a Praça Luís de Camões?
Sabia que em janeiro de 1890, alguns lisboetas treparam uma longa escada, até à estátua de Luís de Camões, na Praça de mesmo nome, lançando sobre o poeta alguns panos negros? Nos dias seguintes, a praça seria o ponto de encontro dos patriotas que se levantaram contra a Inglaterra aquando do caso do Mapa Cor-de-Rosa.
Sabia que foi o cruzador Adamastor, que, a partir do Tejo e frente a Lisboa, que deu o sinal para revolução republicana de 5 de outubro de 1910?
Sabia que o Campo dos Mártires da Pátria foi também conhecido como Campo do Curral, devido às paliçadas que ali se levantavam para ali se realizarem touradas e feiras?
Sabia que o Campo de Santana mudou de nome para Campo dos Mártires da Pátria porque foi aqui que foi executado o grupo de doze homens que planearam o derrube do marechal inglês Beresford, que então governava o país?
Sabia que o Terreiro do Paço era o local onde se situava a residência ribeirinha de Dom Manuel, o Venturoso?
Sabia que foi do Terreiro do Paço que em 24 de junho de 1578 partiu para África a armada de Dom Sebastião?
Sabia que o Terreiro do Paço era um dos locais preferidos pela Inquisição para executar os seus Autos-de-Fé? Aqui se lançava fogo às pilhas de lenha por debaixo dos pés dos judeus, cristãos-novos e suspeitos de heresia.
Sabia que foi no terreno que é hoje o Terreiro do Paço de Bartolomeu Lourenço de Gusmão, um jovem padre jesuíta, fez aterrar a 3 de outubro de 1709 a Passarola, engenho com asas e cauda que terá levantado voo do Castelo de São Jorge?
Sabia que a primeira sede da Casa Pia, aquando da sua fundação pelo intendente-geral da Polícia, Diogo Inácio de Pina Manique, em 1781, foi no castelo de São Jorge?
Sabia que Carlos Mardel foi quem construiu o chafariz da Rua do Século e da Esperança? Em conjunto, com Eugénio dos Santos foi o co-responsável pela urbanização de Lisboa sendo o autor do projeto do Colégio dos Nobres, do Convento de São Domingos e respetiva igreja.
Sabia que na Lisboa dos séculos XV e XVI existiam vários milhares de mendigos (provavelmente, ainda mais que hoje), organizados em duas confrarias: a Confraria de Santo Aleixo, na Igreja da Misericórdia e a Confraria do Menino Jesus, para cegos?
Sabia que Febo Moniz, foi o procurador eleito da Câmara de Lisboa às Cortes de Almeirim em 1580 que ali defendeu a causa da independência nacional com tanto ardor, tornando-se um símbolo de coragem e patriotismo. Preso por Filipe II, haveria de morrer pouco depois, ainda no cárcere.
Sabia que onde se encontra hoje a Escola Politécnica funciono nos finais do século XVIII, o Colegio dos Nobres? Este colégio era parte do vasto plano educativo montado pelo Marquês de Pombal para disciplinar os jovens fidalgos, treinando-os para as funções da governacao.
Sabia que em 966, uma frota normanda com mais de trinta barcos, atacou Lisboa, sendo vencida em Silves por uma armada muçulmana?
Sabia que Osberno é o nome do padre inglês que deixou uma carta (hoje conservada em Cambridge) e que descreve a tomada de Lisboa por Afonso Henriques em 1147?
Sabia que o grande médico Paracelso esteve em Lisboa, em 1518, tendo trocado ideias terapêuticas com médicos indianos? O relato destes encontros encontra-se no Museu da História da Madicina da Universidade de Zuriique.
Sabia que foi na Rua da Esperança que se reuniram os 50 líderes dos conjurados republicanos na noite que precedeu a revolução de cinco de outubro?
Sabia que foi o Infantaria 16, do quartel de Campo de Ourique a primeira unidade militar a aderir à revolução republicana do cinco de outubro?
Sabia que foi a meio da Rua Ferreira Borges que uma coluna da Guarda Municipal (pró-monarquica) surpreendeu a 5 de outubro uma bateria do Artilharia 1 que manobrava para as Necessidades?  Após uma breve escaramuça, os municipais dispersaram e os republicanos prosseguiram com o plano.
Sabia que foi na rua Fradesso de Oliveira que os revoltosos republicanos enfrentaram uma coluna de cavalaria afeta à monarquia, causando a dispersão desta e mais de 50 baixas entre as suas forças?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s